Bairro das Janelas Verdes

Um Bairro com muitas atrações que tem como ponto principal o Museu de Arte Antiga. Uma zona da cidade que já conheceu altos e baixos (inspirada talvez pelas colinas de Lisboa) e que actualmente faz parte do roteiro turístico da capital. Foi aqui que Eça de Queiroz situou Os Maias e foi assim também que a fama artística do Bairro das Janelas Verdes começou a espalhar-se. Um Bairro que inspirou grandes artistas portugueses como Júlio Pomar que nasceu e cresceu a olhar para o Tejo aqui mesmo. Protegido por Santos e agarrado à Lapa, o Bairro é atravessado por uma importante rua de Lisboa que lhe dá o nome e o movimento.

A meio da rua, encontramos o Chafariz das Janelas Verdes, edificado no ano de 1755 e que fazia parte do conjunto de chafarizes ligados ao Aqueduto das Águas Livres. A poucos metros de distância, o jardim, com uma vista magnífica sobre uma Lisboa ribeirinha, acrescenta-lhe um  encanto natural. Esperar pelo pôr-do-sol e neste jardim é um momento mágico. Com inúmeros restaurantes e bares, o Bairro é um ponto de encontro para pessoas de todas as idades e gostos. A oferta é variada e aqui pode encontrar alguns dos melhores restaurantes da cidade. Três hotéis de charme situados em plena Rua das janelas Verdes, reforçam o lado mais cosmopolita do Bairro.

O Bairro das Janelas Verdes distingue-se por uma oferta cultural e comercial distinta dos outros pontos da cidade. Lojas de design inspiradoras lado a lado com ateliers de pintura, escultura e joalharia estão abertos ao público e convidam a um passeio mais demorado.